Busca no BLOG

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

GOL POLÊMICO INTERRROMPE REAÇÃO DO BRAGANTINO CONTRA O CRICIÚMA

PARTIDA ACABOU 3 A 2 PARA OS DONOS DA CASA E O JOGO TEVE MAIS DE 8 MIN DE PARALISAÇÃO

Pela imagem fica a dúvida se a bola ultrapassou
totalmente a linha do gol como determina a regra
FOTO: Deivid Apolinário/Rádio Eldorado/Internet
Um gol muito contestado e muita confusão. Este foi o resumo do final do jogo desta noite no estádio Heriberto Hülse, em Criciúma-SC, vencido pelo time da casa por 3 a 2. Com o resultado o Bragantino chegou a sua sexta derrota consecutiva na Série B e caiu para penúltima colocação na classificação, mantendo-se com os 15 pontos.
 
Nem mesmo a estreia do tecnico Vagner Benazzi, que não pode ficar no banco de reservas, pois cumpre suspensão imposta pelo STJD no final do ano passado, foi suficiente para evitar mais um resultado negativo. No entanto, o time teve uma outra postura dentro das quatro linhas e em grande parte da partida foi superior ao Criciúma.
 
Pelo futebol apresentado pelas duas equipes a derrota do Bragantino não foi merecida.
 
O primeiro tempo começou com o Bragantino criando duas chances, ambas com Cesinha de cabeça, aos 10 e 17 min. A primeira oportunidade de gol do Criciúma aconteceu aos 20 min, com Lucca, que parou na defesa do estreante Gilvan.
 
O Criciúma abriu o marcador aos 32 min em um belo chute de Kleber, de longa distância, sem chances para Gilvan.
 
No início da segunda etapa, aos 3 min, o Criciúma ampliou o marcador com Lucca em cobrança de falta.
 
O Bragantino reagiu e descontou com Acleisson, aos 20, também cobrando falta. A bola desviou em Kleber, na barreira, tirando o goleiro Michel Alves do lance. Aos 31 o Braga empatou. Moisés serviu a Léo Jaime na entrada da área que fez o giro sobre Elias e bateu forte.
 
Lincon aos 37 quase virou para o Massa Bruta não fosse a intervenção no reflexo do goleiro do Criciúma.
 
Aos 42, o lance polêmico. Depois da cobrança de um escanteio Nirley desvia de cabeça e Zé Carlos conclui para o gol. Gilvan, com o pé esquerdo dentro do gol faz a defesa (a impressão que se tem é que a bola não ultrapassa totalmente a linha do gol, não há uma imagem que mostre o lance no ângulo da linha do gol) e o jogo segue. Exatamente 9 segundos depois o árbitro aponta para o meio campo e valida o gol. Todos do Bragantino partiram para cima da arbitragem inconformados com o lance, mas de nada adianta.
 
A partida ficou paralisada cerca de 8 min. O Bragantino ainda tentou buscar o terceiro gol nos minutos finais, mas não conseguiu.
 
Este mesmo árbitro, Rodrigo Nunes de Sá, já havia prejudicado o Bragantino no jogo diante do Joinville, no útimo dia 14, quando validou o gol do JEC em impedimento e deixou de validar um do Bragantino, marcado por Tchô, de cabeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post aqui seu comentário: