Busca no BLOG

sexta-feira, 8 de abril de 2016

BRAGANTINO ENFRENTA PERIGOSO BATATAIS

JOGO MARCA O INÍCIO DA SEGUNDA FASE DA SÉRIE A2

O confronto entre Batatais e Bragantino, que abre a segunda fase do Campeonato Paulista da Série A2, hoje, sexta-feira, às 21h30, coloca frente a frente um clube que já conquistou a elite do futebol paulista e outro que nunca disputou a principal divisão do Estado.

Além disso, estarão em campo os dois principais ataques, os melhores saldo de gols e os três principais goleadores do torneio, apimentando ainda mais o duelo que vale uma vaga na semifinal da competição.

Batatais e Bragantino se enfrentam no estádio Doutor Osvaldo Scatena, em Batatais.

O Bragantino terminou a primeira fase na segunda colocação com 38 pontos. A equipe também teve o segundo melhor ataque com 32 gols anotados e o melhor saldo com 16, além do artilheiro Tiago Santos, que soma 12 tentos.

Já o Batatais ficou na sétima colocação com 30 pontos e é o detentor do melhor ataque entre os 20 clubes da Série A2, com 34 gols e o segundo melhor saldo com 14. Os dois principais artilheiros também despertam atenção. O meia Raphael Toledo balançou as redes adversárias em 10 oportunidades e o centroavante Eliandro marcou nove gols até o momento.

Além dos números expressivos desta temporada, a parte histórica também se destaca na disputa entre os clubes. Em 1990, o Bragantino conquistou o título do Campeonato Paulista, na partida que ficou conhecida como a ‘Final Caipira’. No ano seguinte, ficou com o vice-campeonato do Campeonato Brasileiro, perdendo a final para o São Paulo. A equipe também já foi semifinalista do Paulistão em 2007 e, no mesmo ano, conquistou o Campeonato Brasileiro da Série C.

Já o Batatais, apesar de toda tradição, nunca disputou a divisão de elite do Estado. Após a criação da Lei do Acesso, em 1948, o clube poderia ter sido o segundo a conquistar a ascensão (o primeiro foi o XV de Piracicaba) mas acabou derrotado pelo Guarani na final e, como apenas o primeiro colocado subia de divisão, o Batatais ficou pelo caminho. Após aquela boa campanha, a equipe do interior ficou seis anos sem atividades profissionais retornando apenas em 1956.