Busca no BLOG

domingo, 9 de abril de 2017

BRAGANTINO CEDE EMPATE NO FINAL AO TAUBATÉ

AINDA ASSIM, RESULTADOS DA RODADA FORAM FAVORÁVEIS E O TIME DO TÉCNICO ALBERTO SEGUE NA LUTA PELA CLASSIFICAÇÃO

RAFAEL CHORÃO EM UMA DAS JOGADAS OFENSIVAS DO BRAGANTINO
FOTO: RAFAEL MOREIRA/BRAGANTINO
Taubaté e Bragantino ficaram no empate em 1 a 1, na noite do último sábado, em Taubaté. O resultado não foi o esperado pelas equipes, pois ambos precisavam da vitória. No entanto, apesar de ter cedido o empate ao adversário nos minutos finais da partida e desperdiçado inúmeras oportunidades para marcar, o Massa Bruta conseguiu manter-se na quinta colocação e diminuir a diferença para o Rio Claro para um ponto, além de manter a diferença para o Taubaté, em dois pontos.

Faltando três rodadas para o término desta fase, nenhuma equipe ainda alcançou a classificação antecipadamente. Água Santa (32 pontos) e São Caetano (31) estão bem encaminhados. Rio Claro (27), Guarani (27), Bragantino (26), Batatais (25), Taubaté (24) e Juventus (24) devem lutar pelas duas outras vagas. Sertãozinho (23), Portuguesa (23) e Penapolense (23) possuem chances matemáticas, mas remotas.

PRIMEIRO TEMPO EQUILIBRADO
Os primeiros minutos da partida mostraram equilíbrio. Aos poucos, o Taubaté passou a agredir mais e a exigir trabalho do goleiro Renan Rocha, que aos 16 min, evitou o gol de Caíque.

Com mais posse de bola e empurrados pelo torcedor, os donos da casa criaram outras oportunidades, com a bola insistindo em rondar a área defendida pelo Bragantino.

O Bragantino desperdiçou uma excelente chance, aos 41 min, com Adriano Paulista. Ele recebeu a bola de Rafael Grampola e, quase na entrada da pequena área finalizou. A bola explodiu contra o corpo do goleiro Célio Gabriel e não entrou.

BRAGA MELHOR NA ETAPA FINAL
O Bragantino voltou para a segunda etapa disposto a marcar e definir a partida. Aos 3 min, Adriano acertou a bola contra o travessão do Taubaté.

Aos 9, o gol saiu. Em jogada bem elaborada e com passes precisos, Vitor fez o corta luz e Adriano Paulista acertou um belo chute.

Dois minutos depois o Taubaté perdeu a melhor chances até então para empatar. Caíque recebeu o passe no interior da área e na saída de Renan Rocha bateu a bola por cima do gol.

Depois deste lance os jogadores do Taubaté deram mostras de um abatimento e o Bragantino cresceu e passou a dominar amplamente a partida. A partir daí as chances de gol foram aparecendo, mas, na maioria delas, precipitadamente, desperdiçadas.

Aos 21 com Rafael Chorão, aos 23 com Adriano Paulista, aos 38 com Wellington, que acertou a bola contra a trave adversária.

Quando poucos acreditavam que o Taubaté ainda pudesse empatar a partida, eis que aconteceu, aos 42. Israel cobrou lateral mandando a bola para a área. Caíque antecipou-se a Júnior Goiano e resvalou. Léo Aro, na segunda trave, tomou a frente de Bruno Oliveira e, de cabeça, mandou a bola para o gol.

Aos 44, Caíque poderia ter virado o marcador. Ele tentou tocar para Everton e perdeu uma chance incrível, pois Guilherme Mattis evitou.

O jogo ficou totalmente aberto nos minutos finais e Bruno Oliveira, livre, invadiu a área e bateu forte, cruzado, a bola saiu pela linha de fundo.


Aos 47, mais uma chance do Bragantino e nova defesa de Célio Gabriel em conclusão de Wellington.